Av. Paulista, 1765 - cj 121
Ed. Scarpa - Sao Paulo - SP - Brazil
CEP: 01311-200
+55 11 2720-0930
contato@maldonadoleal.com

Doing Business. A Linguagem entre Culturas!

Existe tanta literatura sobre como fazer negócios aqui e lá.

Sobre como abrir um negócio aqui e lá.

A maioria diz respeito a normas, requisitos de registros, burocracia local, impostos e informações do gênero. Todas importantes, obviamente.

Não obstante as informações todas do gênero destacado acima, noto que os aspectos humano e cultural são invariavelmente omitidos.

Informações sobre a história da mentalidade corporativa e que orientem sobre como interagir no país alvo do investimento para ter sucesso nos negócios, são bastante escassas. 

Em minha experiência, constatei que, na ausência de um intermediador profissional, tantos e tantos projetos fracassam, quer porque falta ao investidor informação e apoio profissional sobre o arcabouço jurídico e institucional do país alvo, quer porque a cultura do investidor colide com a cultura do país onde ele investe.

Nesse sentido, decidi compartilhar o primeiro de vários artigos que reputo interessantes sobre o assunto e que trata do importante conceito de privacidade entre culturas.

O pano de fundo do artigo é que a privacidade é tratada, basicamente, como a expectativa (e o desejo, portanto) da distância (inclusive física) que indivíduos consideram confortável para se relacionarem com outros.

As dúvidas surgem no que diz respeito tanto à expressão verbal, quanto física: 

• Vale dizer o que é apropriado dizer ou não dizer?

• O quanto devo me aproximar fisicamente de uma pessoa desta ou daquela cultura, quando interajo com ela?

• Tudo bem o toque ou não? 

Em minha carreira, já vivi situações em que o choque cultural ruiu expectativas de negócios na origem, como piadas brasileiras traduzidas para a língua estrangeira e colocadas fora de contexto, roupas inadequadas para a ocasião, linguagem corporal agressiva para a cultura do estrangeiro (gestual exagerado) e tom de voz inadequado, cuja soma se traduzem em “estranheza” para o potencial cliente/investidor.

Espero que o artigo seja útil e que nos traga elementos de reflexão e discussão positiva.